quarta-feira, 24 de junho de 2009

quarta-com-cortázar

INSTRUÇÕES PARA CHORAR

Deixando de lado os motivos, atenhamo-nos à maneira correta de chorar, entendendo por isto um choro que não penetre no escândalo, que não insulte o sorriso com sua semelhança desajeitada e paralela. O choro médio ou comum consiste numa contração geral do rosto e num som espasmódico acompanhado de lágrimas e muco, este no fim, pois o choro acaba no momento em que a gente se assoa energicamente.
Para chorar, dirija a imaginação a você mesmo, e se isto lhe for impossível por ter adquirido o hábito de acreditar no mundo exterior, pense num pato coberto de formigas e nesses golfos do estreito de Magalhães nos quais não entra ninguém, nunca.
Quando o choro chegar, você cobrirá o rosto com delicadeza, usando ambas as mãos com a palma para dentro. As crianças chorarão esfregando a manga do casaco na cara, e de preferência num canto do quarto. Duração média do choro, três minutos.

(Histórias de Cronópios e de Famas, Julio Cortázar, Círculo do Livro, São Paulo)

2 comentários:

Mara faturi disse...

Bem...este "manual" certamente está entre os temas das "complexidades", rs,rs...op´s,acho que não choro " corretamente";)
bjo com sorriso:)

Clarissa Marinho disse...

Gosto demais dessas instruções.