segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

A VERDADEIRA VIAGEM

(parte 3)

Tomar em nossos braços,

fortalecidos como garras pela crueldade do exercício,

à pessoa amada e seguir remando,

se for necessário com os dentes.

Com o tempo ela, também, fará exercício conosco.


Depois, a dois, a três, com todos,

rota a imensidade do único,

virá a morte.


E não valerá nenhuma valentia,

porque ela se gaba de ter matado,

todos os valentes no primeiro encontro.

E tampouco valerá nenhuma covardia,

porque ela mata tudo o que foge.


Para encontrar-se com a morte, se necessita,

ter aprendido algo do amor:

Nem fugir. Nem arremeter-se contra nada.

Aprender a conversar tranquilamente,

isso ensina o amor.


Quando ela se aproxime e venha por nós,

com sua mirada imensa como ela mesma é imensa,

deixa-la aproximar-se até que escute,

nossa respiração entrecortada pelo encontro.

E ela, enternecida como é seu costume,

nos estenderá a mão,

para que acompanhemos a vossa majestade,

ao imutável reino do silêncio.

Aí, quando se entregar é o mais fácil, mirá-la,

-nos olhos a imensidade que lhe pertence-

e dizer-lhe entre dentes:

Amada morte, minha namorada,

escreverei teu nome em todas as paredes,

beijarei sem temor teus lábios,

como nunca nenhum homem o fez

e te amarei, verás, entre o sangue,

nas grandes catástrofes e também, te amarei,

quando um branco botão reine em teu coração.


A grande emoção que recorre seu grande manto negro,

por encontrar-se de golpe em um poema,

faz da morte uma mulher.

Ela também terminará remando tranquilamente até a orla

e compartilhará meu pão e meus amores

e voará pelas noites para cobiçar em seu seio,

aos que já deixaram de remar e voltará,

para encontrar-se comigo e contar-me suas façanhas.


Como se cada vez fosse a primeira,

voltarei a respirar como respiram os atletas

e por tê-lo aprendido dela,

a olharei enternecido

e lhe direi:

Minha morte enamorada e ela,

será feliz.


Depois há que seguir remando.

(continuará)

de MIGUEL OSCAR MENASSA
(do Livro: EL VERDADERO VIAJE, bilingue, Grupo Cero, 1988)

O autor está indicado a CANDIDATO ao PREMIO NOBEL DE LITERATURA 2010,
se queres apoiar sua candidatura, escreva para grupoceroversob@gmail.com ou ligue para (51) 3024.2829
e te diremos como.

6 comentários:

Fernanda disse...

Bom dia. Ocupei um pouco a manha de hoje, visitando o blog de MIGUEL OSCAR MENASSA e gostei. tenho muito para ler ainda, mas continuarei. EStou a seguir A VERDADEIRA VIAGEM.

Grupo Cero VersoB disse...

Querida Fernanda,
Bom dia!!!
desejo te enviar um pouco do calor que temos aqui em pleno verão 36º para aí, em que disseste que afuera es todo blanco (de neve, suponho)!!!
bueno, te envio então com poesia, este calor humano...
sim, lembrei da VERDADEIRA VIAGEM, quando li teu poema: CONHECER PARA VENCER... em que falavas com a dor...
e aqui a cada passo, o poeta se enfrenta, com a Morte, com a Loucura, etc.
foi isso sim que em teu poema CONHECER PARA VENCER... associei com isso de estares cara à cara com a dor, te enfrentavas com a dor!
bueno, mucho gusto, e gracias pelas visitas!!!

Alejandra Menassa disse...

Hola Lúcia: Podríamos tener una lista de lso paoyos conseguidos en Brasil: las personas con nombre y apellidos. ¿Pueden hacer un listado de las cartas enviadas?
Gracias
UN abrazo
Alejandra

Grupo Cero VersoB disse...

Querida Alejandra,

por ahora somos pocos,

estamos implementando eso de las cartas

por ahora,

son apenas 2 cartas que tenemos firmadas,

Usdetes dicen, firmadas,

Altair Venzon,
Professor da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul,
Procurador da República.
2º vice-presidente da Casa do Poeta Rio-grandense.

e

Lúcia Bins Ely
psicanalista
poeta
tradutora do livro
Freud e Lacan - Faladod - 1
de Miguel Oscar Menassa
autora, dentre varios,
de ARADO DE PALAVRAS
livro bilingue de poesia.

seguimos colhendo as assinaturas (firmas) de muchas otras personas

bueno,
por ahora,
un saludo,
y gracias,
Lúcia.

Sonhadora disse...

Lindissimo poema...adorei.
Continuarei a ler.

Beijinhos
Sonhadora

Grupo Cero VersoB disse...

Agradeço o carinho pela poesia,
querida sonhadora,

um forte abraço,
Verso B