segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

POESIA CERO

a Apollinaire


A antiguidade
pra lá desta Torre Eiffel
leva os retratos vazios

da mãe azulada de gás
que inunda a cidade
dos respiradores raivosos

Zunem
perdões
e corvos desterrados

Fênix e máquina
misturados na
vergonha das melancias.

                               Lúcia Bins Ely




(Lúcia Bins Ely é integrante da Escola de Poesia Grupo Cero,
no Brasil, com sede na Cabral, 225, Bairro Rio Branco, Porto Alegre)

4 comentários:

Selu disse...

Enhorabuena por tu blog, me gustó mucho.

Grupo Cero VersoB disse...

gracias, Selu,

por la visita.

Reflexo d Alma disse...

Puxa...
que blog lindo
e delicia de versos.
Amo poesia,
confere la no meu blog depois, vai ser maravilhoso.
Vou passear aqui com calma e me deliciar mais...

Bjins entre sonhos e delírios

Grupo Cero VersoB disse...

Gracias, reflexo d Alma,

pela visita, por nos seguires!

Sim, quanto ao amor pela poesia!
Queremos fazer uma poesia
não que fale de amor
mas que faça as pessoas amar!
Que toque, que transforme,
gostamos do teu blog, muito bem humorado!
Isso também é importante para se viver bem.

Gracias pelo carinha à poesia,
um abraço
e beijos,