terça-feira, 27 de abril de 2010

POESIA saindo do forno CERO

    
             "ao nosso redor chuva chove"

     I
água, água
me molha o pelo
me molha me molha
me brotam...

e mais água água
águaviva
gerando...

chovo colho colhe
chove chove chove

chove chove chove
cai do céu vida sobre a terra

     II

boiam na poça
e meus pés
molhados
meus pés
molhados
absorvem no mar da linguagem
chispas carnais
zarpam de mim
feito letreiros luminosos
de sonho

     III

chuva que me faz alma
palma que me escreve
verde vade vida
verso em dó
em pena de ninguém
restea de esperança
brota feito bomba atômica
atônita
permaneço
          dança

     IV

vestigios de ninguém
arrastando tudo
água que cai sob o ceú de capricornio
abre clareira
e nada
e nado
nos escombros
sob os poetas mortos

Lúcia Bins Ely

4 comentários:

Úrsula Avner disse...

Olá a todos,

bonito e intenso poema da Lúcia ! É muito bom visitar esse recanto poético tão rico... Grande abraço a todos os integrantes do Grupo.

Grupo Cero VersoB disse...

Querida Úrsula,

Agradecemos o carinho.
Forte abraço a ti, também!

saudações poéticas,

Sonhadora disse...

Meus amigos
Lindos poemas...adorei ler.

beijinhos

Grupo Cero VersoB disse...

Querida Sonhadora,

Muito agradecida, a poesia pode enredar sonhos em sintonia com a humanidade.

Como diz o poeta, Miguel Oscar Menassa, queremos fazer uma poesia não que fale de amor, mas que faça as pessoas amarem.

com carinho,